Featured Post

Missionários e Visionários

Os valores de uma empresa, consequentes dos valores dos fundadores, são determinantes na definição da estratégia dessa empresa. Os valores até podem não ser definidos ou analisados. Mas, de uma forma ou de outra, vão influir na forma como a empresa se comporta e como concorre. Definidos os valores,...

Read More

E Se Alguém Copia a Ideia?

Posted by maverick | Posted in Uncategorized | Posted on 14-12-2009

5

Desde a semana passada que ouvi e li esta pergunta várias vezes: “E se alguém copia a ideia?”.

Curiosamente ouvi-a de dois lados diferentes: do lado de empreendedores preocupados em apresentar o seu projecto; e do lado de investidores preocupados em que se mostrem ideias para estimular o aparecimento de projectos. Curioso, não?

Em algumas reuniões e em muitos emails fui confrontado por empreendedores com a questão: “ah nós até apresentavamos a ideia/projecto, mas ela é tão boa e tão única que temos medo que seja copiada”. E a seguir a pergunta da praxe: “e assinar um NDA?” (Non-Disclosure Agreement, Acordo de Confidencialidade)

Ora vamos lá ver se o “problema” faz sentido:

  • ora portanto, eu sou um investidor qualquer. Ando à procura de projectos. Os projectos são ideias que são concretizadas por pessoas. Aparece-me um projecto (ideia + pessoas) e eu, inteligente, a primeira coisa que faço é dizer que não à ideia e vou copiá-la? Como? É que não basta só a ideia. São preciso pessoas para a concretizar. Onde é que as vou buscar? Contrato-as? Por quanto? Ao fim de quanto tempo? Não era mais prático investir de imediato, começar mais cedo, não ter de me chatear com contratações e ter uma equipa que acredita na ideia e que é capaz de investir o seu tempo e know how em vez de ir só buscar o cheque ao fim do mês? Basicamente qualquer investidor que o faça é estúpido.
  • porque é que nenhum investidor assina um NDA? Por uma razão simples: tem acesso a muitas ideias e muitos planos e é muito possível que já tenha ouvido uma ideia semelhante ou mais, que já esteja a investir numa ideia semelhante. Nessa situação o que o investidor faz é dizer de imediato a quem apresenta o projecto que a conversa termina ali porque já tem algo na mesma área. Mas se for inteligente o investidor faz melhor: tenta juntar as duas equipas ou os dois projectos. Sai toda a gente a ganhar.
  • é por isso que pedir um NDA para parecer inteligente e conhecedor da cena na realidade só faz um gajo passar por estúpido.
  • mas há mais: é que se de facto a ideia é uma boa ideia e a equipa é uma boa equipa, é difícil copiar o projecto. As ideias são commodities, valem zero, são como olhos do cú, cada um tem o seu. O que interessa de facto é a execução. Mais: se a ideia é copiável, é provavelmente má ideia investir na mesma. É que nada impede que depois do projecto aparecer não venha alguém que a copie e a execute de melhor forma. Ou, pior, que chegue um gigante qualquer com googles de massa e a copie. Aí nem sequer precisa de executar bem, vai à força de investimento bruto.
  • adicionalmente: vamos admitir que a ideia era copiada. O investidor era estúpido, não aproveitava logo a oportunidade, tinha de ir à procura de uma equipa (se calhar mais cara do que investir) e tinha uns gajos que se calhar não executavam porque não percebiam nada do assunto e queriam era o chequezinho garantido. O que é que acontecia ao investidor? Alguma vez mais ia ter ideias e projectos a serem-lhe apresentadas? Não. A noticia circularia rapidamente e o investidor tinha a sua reputação arruinada.
  • de facto, até dá jeito a um projecto que um investidor burro lhe copie a ideia. Primeiro vai desbravar terreno e arcar com o custo de descobrir e resolver os problemas mais críticos. O mais provável é que crie um mercado que não consegue satisfazer que pode passar a ser explorado pelos verdadeiros empreendedores. Que para além disso, depois de terem um investidor cretino a validar a ideia (copiando-a, é certo), podem dirigir-se a outros investidores mais inteligentes a dizer “aquele ali já investiu”. Ah! e não queiram parecer inteligentes e falar em “first mover advantage”: o first mover nem sempre é o que tem mais vantagem e inclusive está demonstrado que com assimetria de informação (ie. alguém que sabe mais sobre o assunto) há vantagem em seguir uma estratégia second mover advantage. Exemplos? Computador pessoal: a Apple chegou primeiro e a Microsoft em segundo. Comércio online: a Amazon chegou em segundo, antes dela cheguei a comprar livros na Books.com (acessivel por telnet; bad execution).

Como disse, fui confrontado por investidores com a mesma questão: “então tu és maluco? vais dizer ao pessoal quais são as boas ideias? isso não era de NDA à frente?”.

Vamos lá ver se o “problema” faz sentido:

  • portanto, eu sou um “empreendedor” mas não tenho boas ideias. Há um grupo de investidores que diz que procura ideias numa determinada área. Eu apesar de não ter boas ideias, até me ocorre uma porreira. E em vez de contactar os investidores com a necessidade expressa, vou copiar a “ideia” e tentar pô-la a funcionar sózinho? Para mais tarde procurar investidores? Não era mais rápido ter investidores logo desde início? Mais uma vez não basta apenas a ideia. Para além de pessoas é preciso dinheiro e é preciso ter acesso a um conjunto de recursos que não estão disponíveis a candidatos a empreendedores.
  • se calhar o investidor, apesar de um grupo copiar a ideia, vai ter outros grupos a apresentar-lhe projectos de imediato. E esses projectos vão ser financiados, ter acesso aos tais recursos e ter vantagem na execução. E depois os “copiões” são papados. Em vez de potencialmente poderem passar a fazer parte do grupo de founders. Acham que podem ter first mover advantage? Façam favor. É que se calhar são os investidores mais um projecto constituido por gente honesta que beneficia da vossa burrice e usa o second mover advantage.
  • mas há mais: o empreendedor copia a ideia. Era estúpido em vez de aproveitar a oportunidade já no terreno. O que é que lhe acontecia? Bem, àquele investidor nunca mais apresentava projectos nem nunca mais tinha a oportunidade de ter investimento. Para além disso o investidor (eu por exemplo) faria questão de publicitar a chico-espertice arruinando a reputação do chamado “empreendedor”. E, para além disso, esse “empreendedor” também passava a ficar mal visto junto de muitos outros investidores, membros de clubes de business angels ou de empresas de capital de risco.

Posso dar explicações adicionais a quem o desejar, mas antes têm de assinar um NDA para eu ser o único a parecer um gajo inteligente. E para mim basta-me que assinem este.

Comments (5)

[...] o meu último artigo no site da Maverick. Só achei que deviam [...]

[...] em: Vídeo e piadas — Nuno Saraiva @ 6:30 pm Só mesmo ele para escrever o que se segue, no site da empresa: mas há mais: é que se de facto a ideia é uma boa ideia e a equipa é uma boa equipa, é [...]

Mário,

Concordo plenamente consigo. Não há que ter este tipo de receios. Somos todos grandinhos, nestes meios só vai quem tem “barba rija” e os “artistas” cedo se espalham.

Mas em relação a oportunismos, temos agora um bom exemplo a acontecer com o tão falado Crunchpad. Confesso que tenho acompanhado a história apenas num dos lados, o lado do Techcrunch e aqui parece-me claramente que os “artistas chico-espertos” são os tipos do parceiro da Techcrunch, a Fusion Garage. Claro que o Michael Arrington também não é nenhum santinho.

De qualquer forma, gostava de ouvir a sua opinião sobre de que forma uma pessoa se pode proteger (seja empreendedor ou investidor) de uma situação destas, em que não é no início que a ideia é roubada, mas sim depois de terem trabalhado em conjunto para a desenvolver, há um lado que rói a corda e decide ir sozinho para o mercado, ignorando o outro lado.
Possivelmente neste caso os tribunais vão acabar por resolver, mas se isso acontecesse no nosso país e à velocidade que a justiça funciona, era com certeza uma ideia perdida.

Cumprimentos,
Rui Campos

>De qualquer forma, gostava de ouvir a sua opinião sobre de que
>forma uma pessoa se pode proteger (seja empreendedor ou investidor)
>de uma situação destas, em que não é no início que a ideia é roubada,
>mas sim depois de terem trabalhado em conjunto para a desenvolver,
>

A altura para se assinarem NDAs é precisamente antes de se começar
a trabalhar em conjunto :-)

E mesmo aí não sei se um NDA é estritamente necessário. Um contrato
ou um acordo de não-concorrência durante X anos poderá ser o suficiente.

— MV

E se ninguém quiser copiar a ideia? Mau sinal não é?

Quanto ao first-mover se calhar é mais disadvantage que advantage.

http://www.google.com/search?q=first+mover+disadvantage